quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

O Pedro se formou!!

Sandra, que em 2012, foi a primeira Professora.
Este ano fui mãe de formando.

Aos 10 anos, o Pedro passou do ensino Fundamental I para o Fundamental II. Aqui, na nossa cidade, na rede pública de ensino, essa transição se dá com uma mudança de escola e de hierarquia administrativa. Ou seja: fundamental I é municipal, fundamental II é estadual. Podem atuar no mesmo endereço, mas são escolas distintas.

A cerimônia foi tão linda quanto se espera. Com as homenagens merecidas aos professores, funcionários, pais e equipe.  Com colação de grau e entrega do certificado de conclusão do ensino fundamental I. Fotos de bebês, da família, dos melhores momentos do ano em lindos clipes que fizeram as crianças rirem até não poder mais e as mamães chorarem como crianças. Foi lindo. Sou babona e manteiga derretida. Chorei quando chegaram os convites, quando chegou a camiseta que usariam na ocasião e durante toda a cerimônia. Chorei agora ao escrever...

É uma transição muito grande. Arrisco até a dizer que é a maior delas! Não é apenas uma etapa do ensino. É uma etapa da vida! É o adeus infância, olá adolescência. É daqui para frente que nós, pais, vamos poder ver o resultado de muitas coisas que estamos ensinando desde que nasceram. É daqui para frente que eles devem amadurecer em suas responsabilidades e escolhas. É daqui para frente que os amigos serão mais importantes e definitivos. Daqui para a frente tudo é novo... para ele e para mim...

E assim é a vida. Uma etapa após a outra, cada uma com seus encantos e suas dificuldades. Um eterno clichê... e agora é nossa vez...

Depois desta formatura, a maior só deve ser a da faculdade, em que entram adolescentes e saem adultos... mas isso é uma outra história, que deverá ser contada mais tarde... ;)

Professora Janete, última Professora solo, 2017

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Quase férias!

Mais uma vez estamos quase em férias!

Hora de programar atividades especiais para entreter a criançada! Especialmente para quem não vai viajar nestes dias!

Nas férias de julho, programamos algumas atividades dentro de casa e outras externas... Mas devido ao frio e mal tempo, precisamos ficar mais fechados mesmo. Mas agora, além do calor, o período de férias é maior, então dá para programar várias atividades ao ar livre!
Essas eram as atividades programadas para as férias de julho!

Por aqui, a criançada brinca bastante na rua. Esconde esconde, bicicleta, alerta, varias modalidades de pega-pega e tantas outras brincadeiras que eles mesmos inventam. Priorizar isso é importante! Além de ser muito divertido, fortalece laços e estimula a vivência social, o companheirismo e claro, a criatividade. Ainda terão lembranças que permanecerão para sempre! Se você tem a possibilidade de deixar a cria mais solta, com mais liberdade (liberdade assistida, instruída e muito direcionada, é claro!), não exite! Aproveite a oportunidade para socializar com os vizinhos, conhecer melhor as famílias, entender a "dinâmica" dessas amizades. Aqui, as crianças querem aproveitar as férias para fazer uma festa na rua. Já combinaram com os amigos, que irá ser a Festa das 19h. Os pais deverão estar presentes, conversando e organizando uns lanchinhos... ideia 100% deles! Ideia muito boa que eu espero que os pais abracem!

Aproveitando o calor, que tal procurar o parque mais próximo para um pic-nic? Ou até ir mais longe um pouco, fazer turismo em uma cidade vizinha? Pic-nics são ideias práticas e deliciosas para passar o tempo e descansar. A ideia é procurar um lugar onde a criança fique mais a vontade para brincar, sem tanta necessidade de assistência e muito cuidado. Também é uma ótima oportunidade para combinar com mais alguma família,quebrar o estigma daquela famosa frase: "Vamos marcar!". E também, se for só você e as crianças, aproveite para desconectar, ler um livro, ouvir os pássaros ou simplesmente ficar olhando de longe as crianças brincando... Vale muito a pena.

Andar pela cidade, ver vitrines, tomar um sorvete. Sem compromisso, sem pressa, sem pretensões e sem desculpas... simplesmente andar por onde der vontade, entrar em lojas só para passar o tempo, sem provar nada... Deixar que eles escolham onde ir e quanto tempo levar... Deixe as compras para outra oportunidade.

Visitar a biblioteca da cidade e passar uma tarde ali também é uma delícia. Nos mesmo padrões do passeio pelo cidade, sem pressa, sem desculpas... Ler e folhar quantos livros puder.

Visitar o Zoológico, pontos turísticos, cartões postais. Pense que, em muitos casos, vêm gente de longe para conhecer um lugar que ficar a uma pequena distância de casa e você, tão pertinho, nunca foi ou nunca levou as crianças para conhecer. Imperdoável! Aproveite as férias e vai logo!

Para os dias chuvosos ou até mesmo para os dia em que a preguiça ganha, a pedida é um filme em família, na sala, com pipoca e chocolate. Jogos de tabuleiro e desafios de video-game também podem ter espaço aqui.

Ir para a cozinha! Faça um bolo a várias mãos, teste receitinhas fáceis e dê as primeiras ou novas instruções neste universo tão cheio de possibilidades chamado cozinha!

Livros de colorir, tão na moda alguns anos atrás, podem e devem ser ressuscitados nestas circunstancias. Pintar uma página em conjunto é muito gratificante e o resultado é uma obra de arte única e exclusiva!

E falando em obras de arte, outra atividade que por aqui é pedida certa, é pintar gesso. Estatuas, cofres, vasos, quadrinhos e espelhos. Vale tudo! E o resultado é uma decoração diferente para sua casa e filhos orgulhosos de ter uma obra exposta na sala ou no próprio quarto. Essa é uma atividade que até a mamãe aqui, que não tem nadinha de habilidades manuais, adora se aventurar... É muito relaxante, muito gostoso. E vale fazer qualquer artesanato que vocês escolherem! O importante é botar a mão na massa e deixar a imaginação solta!

Festa do pijama com os primos, dormir na casa da vó...

Um dia sem tecnologia para TODOS!!

E claro, ter dias livres para deixar o acaso nos trazer oportunidades de momentos deliciosos para curtir juntos ou ainda para não fazer nada, ficar de pijama ou com roupas velhas, comendo besteira sem se preocupar com a rotina.

E por fim, a dica mais importante daqui é que não importa o tempo que você tenha para realizar uma ou todas essas atividades, o que importa realmente é você estar presente de corpo e alma naquilo que se propuser a fazer com eles. E lembrem-se que cada família tem a sua dinâmica, portanto o que serve para uma pode não dar certo para outra.

E eu procuro sempre propor para as crianças atividades com gastos mínimos, por várias razões, mas principalmente, porque é justamente nestas atividades que as melhores lembranças habitam.

E você? O que tem para sugerir? As possibilidades são infinitas! Deixe suas sugestões nos comentários!! E boas férias pessoal!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Um Viva à Criatividade!

Hoje fui lembrada pelo Facebook, de uma postagem de 4 anos atrás, a respeito de um casal de pais, que todos os anos, dedica o mês de novembro para convencer os filhos de que seus dinossauros de plástico, ganham vida durante a noite... A sessão de fotos da postagem é fantástica, a criatividade do casal é incrível e a disposição mais ainda. http://www.quickmeme.com/p/3vpa2h

Mas o melhor de tudo é o motivo. Quatro anos atrás, eles já se preocupavam o excesso de tecnologia e a carência de imaginação na vida das crianças.

"Em uma época de Ipads e Netflix, não queremos que nossos filhos percam a fantasia e imaginação. Quando todas as questões do mundo são respondidas através da web, nós queremos que nossos filhos ainda tenham experiências misteriosas. Tudo demanda de um pouco de energia, criatividade e alguns dinossauros de plástico. A infância passa muito rápido, vamos garantir que seja divertida enquanto dure!"

É nisso que eu acredito. Crianças precisam ser crianças por muito mais tempo... Precisam ser instigadas a brincar, a criar. Precisam de liberdade para pensar, inventar, roteirizar suas experiências e brincadeiras. Todo tipo de faz de conta é construtivo! Precisam brincar de ser adultos, brincar de trabalhar, de cuidar de filhos, de fantasiar sobre aquilo que imaginam que será a vida adulta e de sonhar com tudo isso. E buscar realizar quando chegar a hora. As brincadeiras e a criatividade, são fatores importantes do crescimento. São elas que ajudarão, um dia, nas tomadas de decisões, na busca por soluções de problemas e questões da vida cotidiana.

As crianças precisam aprender a ler e a visualizar o que estão lendo. A criar o rosto de seu personagem favorito e não apenas vê-los desenhados no papel ou em movimentos animados. Grande parte do processo de criação e imaginação passa pela leitura.

Brincadeiras e livros são companheiros muito melhores do que smartphones, smart tvs e derivados. Cabe a nós, pais, resgatarmos esses costumes e incentivar o uso... Sem moderação.

O tempo passa muito rápido. Por aqui está cada dia mais difícil incentivar a imaginação e criatividade... Com 10 e 7 anos, já não me sinto mais tão manipuladora de suas cabecinhas infantis. Então a meta é diminuir o tempo de uso dos smarts e aumentar o tempo de uso da cabeça...

Mais a respeito:

http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI345392-18071,00-CASAL+CRIA+CENAS+ABSURDAS+COM+DINOS+PARA+ESTIMULAR+IMAGINACAO+DOS+FILHOS.html

No Facebook: @dinovember


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Ainda ontem eu perdi um dente...



Ainda ontem eu perdi um dente. E minha vó fez vitamina de abacate “porque tira a dor e faz parar de sangrar!” E ainda ontem a fada do dente me visitava a cada dentinho que eu perdia.

Ainda ontem eu ganhei uma Barbie de bicicleta, do Papai Noel e uma Xuxa.

Ainda ontem eu voltei para casa, do meu primeiro dia de aula no primeiro ano, inconformada por não ter aprendido a ler!!! E ainda ontem eu consegui ler a palavra “feijão” no quadro negro, escrita pela professora Terezinha, enquanto aprendíamos palavras com F...

Ainda ontem eu subia em árvores e brincava de casinha. Ainda ontem era eu quem escalava portas e corredores.

Ainda ontem eu fiz 5 anos, eu me lembro!! E eu lembro que ainda ontem eu queria dormir na casa da vó e assistir filmes com ela.

Ainda ontem eu recebia Caprichos e Atrevidas pelo correio. E colecionava posters dos Bakstreet Boys.

Eu andava de bicicleta pela cidade, eu brincava de esconde-esconde na rua.

Foi ainda ontem... eu juro!!!

Para onde foi o tempo, que ainda ontem eu tinha e fazia tudo isso e hoje eu sou mãe e vejo essas coisas nos meus filhos? Hoje eu tenho coisas para fazer por obrigação, coisas que eu fazia só de brincadeirinha... quando e como foi que aconteceu tudo isso?? Ainda ontem a fada do dente me visitava e hoje EU sou a fada do dente...

Levei uns 20 e poucos anos para fazer 10 anos, mais 20 anos para ter 15. Então levei cerca de uns 8 anos até chegar aos 20, mas dos  20 aos 30 não levou nem 3 anos e amanhã eu terei 40.... Como assim?? Alguém me explica essa matemática que nunca fui muito boa nisso não... 

Mas agora o que realmente me preocupa é: quantos anos ainda vão levar até eu ver o rosto do Pedro com suas primeiras penugens de barba? Mais un 7-8 anos ou serão apenas alguns meses? E para a Natália deixar de usar suas saias de bailarina com blusas de princesa, botas e gorros e passar a usar a última tendência “hipster”? Será que no próximo mês? 

Por quanto tempo ainda eu os levarei para a escola e me preocuparei com quem irá buscá-los? 

Quanto tempo falta para que eles preparem seu jantar, resolvam seus problemas e prefiram ficar sozinhos em casa enquanto eu estarei fora? 

Por quanto tempo ainda terei o prazer de colocá-los todas as noites em suas camas e rezar com eles, dar um beijo de boa noite e dizer o quanto os amos, sabendo que isso ainda é tudo o que eles precisam saber para ter um boa noite de sono? Por quanto tempo ainda minhas palavras os confortarão, ainda serão importantes e ainda ditarão seus passos? 

Por quanto tempo eu terei esses olhares inocentes, esperando por alguma explicação maluca sobre as tão complexas questões da vida: “por que nós não podemos voar?” “por que nós não podemos ver um dinossauro de verdade?” “por que eu não posso SER um trem?”. Quando foi mesmo que parei de perguntar e comecei a responder? 

Quanto tempo ainda vai levar para que eu possa ver que cumpri minha missão como mãe? Será que algum dia poderei acreditar que cumpri tal missão?

Triste é ver o tempo correr tão depressa quando tudo o que eu mais queria era que ele andasse em câmera lenta, como era quando eu ainda não tinha 10 anos. Triste é ver o tempo passar e passar e saber que ele nunca mais vai voltar. E amanhã e vou dizer: ainda ontem o Pedro era criança e queria ser um trem e a Natália queria conhecer dinossauros de verdades...



terça-feira, 15 de outubro de 2013

"Você vai fazer o mundo melhor"


Você está fazendo seis anos. Tantas coisas você já me ensinou, tantas coisas bonitas você já fez e faz por mim, todos os dias. Você é muito maior que a sua idade. Você é muito maior que o seu tamanho. Você é muito maior que o meu amor por você e que o seu amor por nós. Outro dia, você, baseado num conhecimento tão simples e ao mesmo tempo tão complexo, recitando uma frase de um livro que nós amamos, me disse: "Nada poderia ser maior do que o céu!" E nós sorrimos... nós três, eu, você e a Natália, porque nós sabemos exatamente do que estávamos falando, mesmo sem dizer mais nada. Nós sabemos, alguns saberão, outros não. 

Aprendi muito mais com você do que você comigo, com certeza. Eu nunca levei um avião de papel no dia do brinquedo. E se tivesse levado, não seria com a mesma alegria e com o mesmo orgulho com que você levou. Eu teria vergonha disso. E hoje me envergonho de pensar que me envergonharia. Se eu tivesse lido sua agenda, com certeza teria falado pra você que levasse o seu avião de papel, feito por você mesmo, mas que levasse também um outro brinquedo... um comprado, um "de verdade"!! Que bom que não cumpri meu papel de ler sua agenda diariamente... teria estragado algo tão lindo. Será que já não estraguei muitas coisas?? 

Você é naturalmente assim... naturalmente humilde, generoso, companheiro, naturalmente prestativo e gentil. E como toda criança de 6 anos, é naturalmente desafiador, teimoso, guloso, ingênuo... como eu disse, naturalmente, como toda criança, de 0 a 100 anos...

Cara, você é incrível!!!! E só tem 6 anos!!! Quem te conhece sabe... É como disse alguém pra você esses dias: "você vai fazer o mundo melhor!!" E eu só posso concordar...

FELIZ ANIVERSÁRIO. Que a vida seja sempre boa pra você. 

Como todo meu amor... de IDA e VOLTA.

sábado, 8 de junho de 2013

"A Vida é como uma Caixa de Chocolates"



"A vida é como uma caixa de chocolates."

É, a vida é assim... começamos a semana de um jeito, terminamos de outro.

Há quase 6 anos, pouco antes do Pedro nascer, eu parei de trabalhar. Fiquei esse tempo cuidando da cria, vendo crescer, vendo aprender, vendo tudo o que eu podia ver, curtindo cada momento como se fosse único, o que na realidade é. Se nesses 6 anos eu me arrependo de alguma coisa, é de não ter fotografado mais, filmado mais, gravado com mais força na minha memória. Quisera eu ter a lembrança vívida de cada segundo destes 6 anos que, sem a menor sombra de dúvidas, foram os melhores da minha vida. Esse tempo passou, de um jeito ou de outro, eu em casa ou trabalhando. Graças a Deus estava em casa, pude ver os primeiros sorrisos, primeiros passos, palavras, engasgos e enganos, as melhores pérolas eu estava ali, registrando, anotando para poder rir outra vez quando quiser.

Mas como já parafraseei Forrest Gump no início, a vida é uma caixa de chocolates, você nunca sabe o que vai encontrar. E numa dessas encontrei que precisei voltar a trabalhar antes do planejado. E assim foi, 3 meses atrás, voltei ao mercado de trabalho. Comecei na Click Cópias. Uma oportunidade única, oferecida pela Jura que, além de vizinha de muitos anos, é uma amiga pra vida inteira.  Foram 3 meses de trabalho cansativo e criativo, permeado por lágrimas e sorrisos, por pessoas agradáveis e desagradáveis, por diversão e por chatices também, como qualquer ambiente de trabalho. 3 meses que eu pude vivenciar a complexidade de uma máquina copiadora, aprender que muitas vezes, o que é velho é muito mais resistente e duradouro do que o novo, aprender muito sobre o capricho e a dedicação com que se deve conduzir um negócio, como se deve lidar com as pessoas, que essas sim, são infinitas vezes mais complexas que qualquer máquina, ainda mais quando se trata de pessoas completamente diferentes sendo "obrigadas" a conviver cerca de 9 horas por dia. Ter que responder todos os dias com "Tiramos" quando entrava um cliente numa copiadora e pergunta: "Vocês tiram 'xerox'?'". Vontade de dizer: "Não, só Cannon" (ali as máquinas são da Cannon, não da Xerox). Foram 3 meses que me fizeram valorizar muito mais as minhas chefes Jura e Cema, por ter, agora consciência do que elas passam todos os dias, pela dedicação que elas têm, pelo carinho e atenção que elas dedicam a todos os seus funcionários. Não disse só uma vez, mas várias, que tenho certeza que nem se eu trabalhasse com minha mãe eu seria tão bem acolhida e tão valorizada quanto fui com elas (não que minha mãe não fosse fazer, mas mãe é diferente, né rsrs). São pessoas que eu vou ter pra sempre no meu coração. Onde antes havia carinho e amizade, hoje existe também amor, admiração e gratidão, por me oferecerem um "teto", por me ensinarem tudo e depositarem tanta confiança e credibilidade em mim, mesmo sabendo que eu ficaria ali enquanto não aparecesse algo "melhor", algo na "minha área".

E eu não passei por tantas surpresas e mudanças sozinhas, levei comigo tantas pessoas: meus filhos, marido, minha mãe, pai e irmãos. As crianças foram obrigadas a sair de casa todos os dias cedo, ficar na vó e só ver a mãe, que antes era presença 24h, na hora do almoço e no fim da tarde e sempre cansada. Depois de um tempo a Natália começou a ir para a creche, chorou por mais de 3 semanas todos os dias (e eu também, mas ela nunca me viu chorar!!).

E eis que numa terça feira, assim de repente, de surpresa, recebo uma ligação que mudaria tudo, mais uma vez. Uma oferta de emprego, para ganhar um pouco menos, mas trabalhar menos horas por dia, menos dias por semana. E agora eu estou me juntando a uma das classes trabalhadoras mais importantes do mundo inteiro. E vou exercer a primeira profissão que sonhamos ser quando somos crianças. E vou, a partir do dia 10 de junho, ser professora! Vou atender numa creche, as crianças do berçário.

De um dia para o outro, eu que me vi longe dos meus filhos a maior parte do tempo, ganhei a graça e a oportunidade de cuidar dos filhos de mulheres que não tiveram e não têm o mesmo privilégio que eu. Desejo que Deus me contemple com muita sabedoria e paciência, com muito amor e dedicação para essa nova missão que se descortina a minha frente. E me ajude a só melhorar e engrandecer a vida dessas crianças que me serão destinadas a cuidar por algumas horas do dia.

E só para completar: a Natália foi transferida para a creche que eu vou trabalhar. Para facilitar nossas vidas, já que os horários não seriam compatíveis se ela continuasse na creche que estava. Sou muito grata a todas as professoras que cuidaram dela neste tempo, foi muito amor e dedicação, eu sei... fiquei com um nó na garganta em submete-la a mais uma mudança, ainda mais que agora ela estava acostumada, bem feliz e evoluindo a olhos vistos (precisam ver o caderninho de atividades que ela trouxe!! E ela só ficou um mês lá!!). Mas como confio nas graças de Deus, sei que onde vamos, ela vai no mínimo, manter esse ritmo.


Quero agradecer cada uma das pessoas que arquitetaram essas mudanças em minha vida, que mexeram os pauzinhos por mim, que estão ao meu lado. Mas são tantas pessoas que se eu citar e esquecer de uma estarei sendo muito ingrata. Então, cada um de vocês que sabem o que fizeram e o que fazem, saibam que estarão eternamente em minhas orações. 

E vamos lá, para a próxima caixa de bombons que abrirei...

(imagem daqui)

sábado, 1 de junho de 2013

Um dentinho a menos... e o dinheirinho da fada?



Dia 30 de maio, o Pedro perdeu seu primeiro dentinho...

Quer dizer, não perdeu, não caiu sozinho... ele deixou o Felipe tirar. Ele não confiou em mim para isso, nem na Rose, nem em ninguém que convive todos os dias com ele... ele preferiu deixar o Felipe tirar. O Felipe é primo da Sarah, que é tia do Pedro. Nos reunimos para comer pizza, fizemos umas sobremesas e o Pedro e a Natália só de conversa fiada com o Felipe e a Larissa, namorada do Felipe, desenhando e pintando com eles... e nessa, totalmente sem planejar, ele abriu a guarda e pronto... rápido e rasteiro estava o dentinho pra fora. Se eu acreditasse mesmo que ele deixaria ir até fim, tinha filmado...

Bom, como ele ficou dormindo na vó naquela noite, eu trouxe o dentinho dele para casa, a fadinha não passou. Mas na noite seguinte, dentinho devidamente colocado na janela e pela manhã...

Surpresa!!! Ele esperava por uma moedinha, mas a fada deixou para ele uma nota!!!

- Mãe, você acredita que ela me deu R$ 5,00 pelo meu dente?? Não foi só uma moeda!!! Foi R$ 5,00!!!

Que delícia de ver e de viver...

E enquanto eu fazia almoço e ele arrumava a mesa, perguntei:

- E o que você vai comprar com os teus R$ 5,00?

- Não sei, mas eu quero comprar alguma coisa para você.

- Não Pedro. Compre alguma coisa para você. Dá para comprar um Hot Wheels.

- Mesmo assim, eu prefiro comprar um presente para você. O que você quer de presente?

- Eu não quero presente. Não preciso de nada.

- Mas eu vou escolher alguma coisa pra você então.

- Então faça assim: fale para o papai te levar comprar um presente para mim e o papai compra. Aí você usa o dinheiro do teu dente e compra uma coisa para você.

- Ah, então pode ser.

Pensa... pensa... e...

- Mas sabe mãe, eu não quero comprar nada para mim. Então eu vou usar meu dinheiro para comprar um presente para a Natália.

Esse é meu filho... humilde, generoso, de um coração maior que o mundo.

Temos tanto que aprender com ele....

Ahhh Deus, tenho que Te agradecer, todos os dias, pelos filhos que tenho... e tentar ser melhor todos os dias, como mãe e como pessoa, seguindo o exemplo do Pedro... que aos seus 5 anos, ganhou míseros R$ 5,00 e não pensou nele nem uma vez...

Meu Deus, proteja e preserve esse coraçãozinho tão bom...