terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Ahh o Natal...

Essa foto é do Natal passado... não teve jeito de convencer a Natália a tirar uma foto com o Papai Noel.

Quero ver você não chorar, não olhar pra trás, nem se arrepender do que faz.
Quero ver o amor vencer, mas a se dor nascer você resistir e sorrir.
Se você pode ser assim, tão enorme assim eu vou crer...
Que o Natal existe, que ninguém é triste, que no mundo há sempre amor.
Bom Natal, um feliz Natal, muito amor e Paz, pra você...
Pra você........

Como é difícil escrever qualquer coisa sobre o Natal sem ser o que é do senso comum, clichê... 

Mas vou tentar escrever sobre como eu sinto o Natal.... 

Eu adoro o Natal, é com certeza a melhor festa do ano e depois que eu tive filhos passou a ser melhor ainda. Pra mim, o Natal, além do significado religioso, é uma noite para estar com a família, se vestir bem, comer bem, trocar presentes, rir, conversar, se emocionar... nostalgia misturada com desejos de felicidade e muita esperança... esperança que esse sentimento de caridade, de solidariedade que toma conta de todos dure além desta data... esperança de que o Cristo que está nascendo em nossos corações nasça nos corações de todos e traga mais justiça, mais paz, mais desse sentimento gostoso que alguns conseguem ter nestes dias, mesmo sem a roupa bonita, a comida gostosa e a troca de presentes... esperança de que os presentes não venham apenas em bonitos pacotes, mas que venham do céu, em forma de bençãos e desejos realizados... esperança que o ano novo que vem logo em seguida traga tudo o que ficou faltando neste ano que passou.

Natal representa saudades... muita saudades...saudades de acreditar que existia mesmo um velhinho de roupa vermelha que trazia os presentes e que tudo era possível... e a maior saudades de todas: minha vó fazia aniversário no dia 24: Maria Natalina... saudades de estar com ela, da casa e da mesa cheia, das amigas velhinhas da Legião de Maria, que vinham todo ano, saudades dos cheiros destes dias... cheiro do pinheirinho natural, cortado dias antes, colocado em um balde de areia, do presépio montado na barba de pau (barba de velho em alguns lugares), cheiro de boneca nova, cheiro de vela, cheiro de jasmim... e do cheiro da minha vó... de todos eles, esse sei que nunca mais vou sentir... é... Natal é muitaaa saudades...

Mas é assim, é viver esses dias com alegria, entusiasmo, paz e amor e deixar que meus filhos criem as sensações deles para os anos que virão, que sintam suas próprias saudades... 

E repetindo: Bom Natal, um feliz Natal, muito amor e paz, pra você... 

sábado, 8 de dezembro de 2012

Desfralde 100% Concluído!!!


É isso aí. Desfralde 100% Concluído. Transação realizada com sucesso.

Os 2 primeiros dias foram os mais difíceis. Ok, na verdade foram os únicos difíceis... mas se você tem estômago fraco e nojinho, é melhor parar por aqui, porque mãe que é mãe conta mesmo as histórias mais sujas dos filhos... e como eu ia dizendo houveram 2 dias com "acidentes".

No primeiro dia, a Natália fez cocô na calcinha, eu tirei com todo cuidado para não deixar cair, joguei no vaso e chamei-a para limpar. E ela veio vindo, de costas e com as mãos quase nos pés, e eu distraída não vi quando ela chegou e carimbou com 2 rodelas a lateral da minha cama.... divertidíssimo. E no dia seguinte ela veio, já com um pouco de sujeira na calcinha, correndinho, pedindo para fazer cocô no vaso. Tirei a calcinha já sujinha e fui limpar. Quando me viro para ela, ela tinha dado umas voltinhas no acento da privada, lambuzado tudo e muito prestativamente já tentava limpar... com a escova de dentes do papai!!! Pense na sujeira.... me benzi de pensar por tudo que ainda teria que passar..... mas acreditem ou não, acabou por aí!! Não teve mais nenhum acidente, nem um xixizinho sequer no chão!! Fim.

E depois de 3 dias que ela estava sem fralda durante o dia e amanhecendo com a fralda noturna seca tirei a fralda da noite. E só para não dizer que não houve mais nada, uma noite que ela foi dormir na minha cama, ela me acordou que tinha feito xixi na minha cama (e na dela tinha plástico protetor de colchão, por isso ela escolheu a minha...). Tive que trocar toda a roupa de cama as 3 e meia da manhã... e só. Mais nada... mesmo, mesmo, mesmo...

E foi assim. Rápido, fácil e indolor, tanto para mim quanto para ela. Sem segredos, sem truques, sem insistências. Ela estava mais do que pronta e pronto, acabaram-se meus pontos semanais de fidelidade na farmácia.

domingo, 28 de outubro de 2012

Eu quero ter 1 milhão de filhos!!


Eu sei, eu sei... já cansaram de histórias de diálogos com o Pedro... mas eu não cansei e nunca cansarei. Cada dia é uma nova conversa, novos sonhos, novos aprendizados. E a conversa de hoje a noite foi assim. E como todas as demais que já escrevi, esta também é uma que quero deixar registrada aqui.

A conversa de hoje, foi de novo, sobre o maior sonho da vida dele: ser pai.

Começou assim:

- Mãe, quando eu crescer quero ter uma filha menina.

- É filho? Que legal!

- Na verdade mãe, eu quero ter um milhão de filhos!!!

- Quando você crescer, você vai poder ter todos os filhos que você quiser e puder ter.

- Acho que um milhão é muito né? Vou querer ter "SÓ" 100.

- Mas 100 filhos também é muito, não acha??

- É... Tá bom então. Vou ficar só com 2... ou 3... É... 3 é bom. Mas acho que 5 é melhor né mãe?

- É sim filho. Quando você crescer e tiver tua mulher, vocês dois vão conversar e decidir quantos filhos irão ter.

- Mas se eu tiver 5 filhos, como é que eu vou colocar 5 camas neste quarto?

- Mas quando você tiver seus 5 filhos você vai morar numa casa bem grande com um quarto bem grande onde irão caber as 5 camas.

- Ah, mas se eu não morar mais aqui, como é que eu vou rezar com você todas noites? E como é que eu vou fazer para ver você todos os dias?

- Do mesmo jeito que eu faço quando quero ver minha mãe.

- Mas mãe, e se eu não souber onde você mora??

- Você sempre vai saber onde eu moro...

- Mas mããããeeee como eu vou fazer para saber o número do teu telefone?

- Você vai aprender... é bem fácil.

- Você pode me dizer agora como é o número do nosso telefone?

- Posso: é xxx-xxxx

- Ah mãe, eu vou ser tão feliz quando tiver meus filhos!! Espero que nenhum deles seja bandido!

- Eles não vão ser... você vai ensinar as coisas boas para eles, o que é certo e o que é errado, você vai rezar com eles todas as noites... E você vai ser o melhor pai do mundo!! E eu vou ser a avó mais feliz do mundo!!!

- Ahh mãe, você vai ser avó de 1 milhão de netos!! (muitos risos...) Ahh não, mas eu vou ter SÓ 5 filhos....


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Uma mão cheia!!



Sim, é verdade... passaram-se 5 anos... já precisamos abrir a mão inteira para mostrar quanto anos você tem. 5 lindos anos. 5 anos completos. Todos os dedos de uma mão já são necessários para você mostrar quantos anos você tem. 

Você, que pensa tanto. 
Você que quer ser pai, que quer ver seu filho ser amamentado. 
Você que se importa com a Natália e se importa comigo, e também se importa com quem está a sua volta. 
Você que chora de tanto rir e ri até com o nariz (só quem já viu para entender essa... rsrs)
Você que ama com toda a força do seu coraçãozinho, que reza todas as noites pela sua família, por amor, saúde, pelas pessoas que não tem onde morar, nem o que comer ou que tomar.
Você que é amigo, que dá beijos em todo mundo, homem ou mulher, velhos ou crianças.
Que me olha com um sorriso que chegam aos olhos, mesmo depois de uma bronca ou de um castigo, e muitas vezes logo em seguida nem eu lembro mais porque você não pode ver Thomas no Youtube.
Você que ama trens.
Você que nasceu no dia dos professores, é inteligente, dedicado e curioso...
Você que faz perguntas e me deixa sem fala, que me fazem pensar e me fazem buscar uma resposta que te agrade, que te satisfaça, por mais que muitas vezes nem eu mesma saiba essas respostas (o que é paz? qual é o tamanho de Deus? como é que a gente vai para o céu quando a gente morre se quando a gente morre o corpo não funciona mais? de que cor é alma? o que é inferno? por que meu amiguinho acha que o gesto do rock´n roll é o gesto do coisa ruim?) entre tantas outras....
Você que há 5 anos me fez mãe. 
E a você, que hoje, amanhã e depois de amanhã e para todo o sempre eu quero desejar as coisas boas do mundo. Mas quero desejar assim:
- Que o mundo seja um mundo melhor, porque você merece um mundo melhor. Você faz o mundo ser melhor por existir. Pelo menos o meu mundo é infinitamente melhor por causa de você...
- Desejo que você tenha saúde, que você seja forte, que viva muito tempo, que você realize seu sonho de ser pai e ver seu filho mamando no peito da sua mulher.
- Desejo que você encontre alegrias todos os dias da sua vida, mesmo quando houver tristezas, porque meu filho, infelizmente elas existirão...
- Quero que você sempre tenha tempo para passear num parque, fazer um piquenique, ler um livro, ver um filme, ouvir uma boa música, andar descalço na praia, jogar bola, fazer qualquer coisa que você tenha vontade e te faça bem. Que você tenha tempo para ser feliz!!
- Espero que você saiba escolher muito bem seus amigos, porque acredite em mim, eles serão fundamentais na construção do seu caráter e até mesmo da sua ideologia. E espero que você sempre me tenha como uma grande amiga e se possível, gostaria de ser sua melhor amiga, aquela mesma, que será a primeira pessoa para quem você terá vontade de contar qualquer coisa que lhe aconteça, de bom, para comemorarmos juntos ou de ruim, para fazermos o possível para resolver.
- Desejo que você aprenda a dançar e que goste de fazer.
- Desejo que você cresça com a mesma personalidade que você tem hoje, que saiba o que quer e o que não quer, que tenha sempre entusiasmo para brigar pela sua vontade, para realizar seus sonhos.

E sabe Pedro, eu desejo também, no seu aniversário, algumas coisas para mim, mas não sendo egoísta, porque até o que eu desejo para mim é para o seu próprio bem:
- Desejo ter mais paciência com você e que você também tenha mais paciência comigo, afinal eu estou aprendendo com você, dia após dia, como é ser mãe, estou errando e aprendendo com meus erros e você está sendo cobaia da minha experiência como mãe. Vou continuar errando, mas quero errar cada vez menos.
- Desejo fazer sempre parte da sua vida.
- Desejo ser melhor mãe a cada dia.
- Desejo ser uma mãe da qual você tenha orgulho, que você possa dizer que aprendeu alguma coisa comigo.

São tantas coisas, tantos desejos... é porque é tanto amor que não cabe em mim... é um amor que eu preciso gritar para o mundo... é um amor que precisa ser escrito, que precisa ser explicado, por mais que não exista nada maior que o amor e mesmo o amor já é pequeno perto do que eu sinto por você. Se existe algo neste mundo maior que o amor, só tem um nome: MEU FILHO!

sábado, 15 de setembro de 2012

Você sabe o que é paz, Mãe?


Para tirar a super poeira que está mais do que impregnada no blog, nada melhor do que (pra variar!!) o relato de uma conversa com o Pedro, ocorrida agora mesmo, porque ele não conseguia dormir... sua cabecinha cheia de ideias não deixava...

Foram tantas perguntas, tanta coisa que ele disse e que eu disse, que é impossível transcrever fielmente...  ele começou dizendo que não conseguia dormir porque tem medo de morrer, de não acordar, porque quem morre, dorme para sempre... disse que tem medo que eu morra e que o pai case de novo com uma mulher muito malvada que vai maltratar ele e a Natália... e quem vai cuidar da gente, mãe?? (culpadas: Branca de Neve e Cinderela!!)

Entre as coisas que eu tentei explicar para ele, disse que todos vamos morrer um dia e que quando a gente morre, as pessoas que a gente ama e que já morreram vem nos buscar. E a gente não vai mais ter saudades dessas pessoas...

- Mas buscar pra levar onde??

- Para o céu!! Por isso precisamos ser pessoas boas. 

- Mas mãe, quando a gente morre não existe mais nada, como é que vamos para o céu??

Falei da alma, que é ela que vai para o céu, tive que explicar o que é alma, qual é o formato, qual é o tamanho do coração de cada um, entre pequeno, médio, grande e gigante: "Se meu pai é gigante, ele tem um coração gigante né, mãe??!!"

Perguntou de Deus, como é a cara de Deus, por que Deus é invisível. 

Falamos sobre as leis de Deus, sobre rezar para não termos mais medo, sobre pedir a Deus que receba as pessoas que já morreram no céu e sobre fazermos o melhor possível, sermos sempre boas pessoas para também um dia chegarmos no céu e ficarmos lá com Deus...

- Mas mãe, eu não quero morrer e ir para o céu, porque lá não tem água, nem comida e eu tenho muita sede e vou ficar com muita sede... 

- Filho, no céu não existe sede, nem fome, nem medo... não existe nada de ruim, só amor... pense no maior amor que você sente na tua vida... pense no amor que você sabe que a mãe sente por você... no céu é só um amor muitas e muitas e muitas vezes maior e o tempo todo!!!

Conversamos sobre pessoas más, que roubam e matam... sobre ser velhinho e ficar doente e morrer... ele falou dos velhinhos do asilo que fomos visitar, "que um dia vão morrer porque são velhinhos!!!" Contei para ele que no dia que fomos lá, pela manhã uma velhinha havia morrido... 

- Você sabe o que é paz, mãe?? Paz é quando a gente chega em um lugar novo e lindo, é quando a gente sente que está tudo bem, né mãe!!

- Exatamente! Quando a gente deita na cama, fecha os olhos e sente o sono chegando... isso também é paz, filho!! Então porque você não aproveita e fecha seus olhos e sente a paz do seu sono chegando??

- Boa ideia, mãe!! Boa noite....

- Boa noite, meu amor, durma na paz de Deus..... a mãe te ama mais do que tudo nesta vida!!!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Esta é uma casa livre da Chupeta!!!

Dedo na boca e mãozinha no cabelo = soninho chegando!!!

Agora, passada uma semana já, acho que posso dizer que sim, estamos livres da chupeta!!

Um ano atrás o Pedro largou a dele, sem medo, sem trauma e 100% por escolha dele mesmo... leia aqui.

E uma semana atrás, a Natália largou a dela.

Semana passada a Natália estava com muita tosse e dificuldade para respirar... mas fiquei realmente com medo quando, na hora do almoço, percebi que ela estava com as mãozinhas roxas!! Terminamos de almoçar, deixei o Pedro na escola e corri para o Dr. Frauzemar. Ele disse que ela estava com broncopleurite, quando o pulmão fica muito carregado e começa a se fechar, por isso as mãos, pés e nariz roxos (quando tirei a roupinha dela para consulta que vi os pés e o nariz arroxeado). Apesar do diagnóstico assustador, não é tão grave quanto parece e com a primeira dose do remédio a circulação já voltou ao normal e as extremidades voltaram a sua coloração saudável, apesar de que ela ainda passou 3 dias com um aspecto horrível e até hoje, uma semana depois, ainda tosse... acho que aí deve-se também aos eventos climáticos, (ô umidade gelada que está fazendo!!!!). Mas devido a tosse e dificuldade respiratória, ela não dormiu de chupeta nem uma vez nestes dias e nem depois de dar uma melhorada!!! Ela simplesmente esqueceu!!! Eu aproveitei e escondi todas as chupetas que tinha em casa... eventualmente uma brota da terra ou o saci devolve e ela aparece num local de fácil acesso, então Natália pega, fica um pouquinho, logo larga, eu escondo e pronto... fim de papo!! 

Só que nem tudo é um mar de rosas... toda essa facilidade e sossego se devem ao fato de que ela chupa o dedo... aí eu me pergunto: o que é pior hein??? Não tem como jogar o dedo fora um dia, né... nem trocar por presentes com o Papai Noel... 

Bom de qualquer maneira, considero esse um grande passo no nosso crescimento!!

Ah, também preciso contar que a mamadeira também foi erradicada sem traumas!!! Substituída de manhã por uma deliciosa xícara de chocolate quentinho com bisnasguinhas ou bolachas, ou então um iogurte, e a noite, simplesmente esquecida!!!

Não sou mais mãe de bebê... sou mãe de 2 crianças!! Passei mais uma fase...


sexta-feira, 11 de maio de 2012

O que eu realmente gostaria de ganhar no Dia das Mães



Por toda a minha vida eu quis ser mãe, eu quis ser mãe do Pedro, eu quis ser mãe da Natália. Por toda a minha vida, eu soube que eu amaria essa vida de mãe. Por toda a minha vida, por mais que eu imaginasse e sonhasse, nem nos melhores sonhos eu tinha como saber que seria tão maravilhoso. Nem nos dias que a brincadeira estava mais divertida e empolgante, nunca eu pude imaginar o que seria. Por toda a minha vida, nunca, nada se igualará a esse prazer, a essa aventura que é ser mãe.

Sempre soube que eu nasci para ser mãe, apesar de sempre ter um pavor desse sonho não se realizar. Brincava de casinha, ninava minhas bonecas... quando nasceu meu irmão mais novo, eu tinha 6 anos, lembro como se fosse hoje que eu convenci minha mãe a me dar uma roupinha dele para eu vestir uma boneca (tá, não lembro se foi difícil convencê-la, mas eu lembro de querer e ela escolher o mais batido e me dar)... lembro de trocar a fralda da boneca, de aprender a dobrar a fralda de pano igual minha mãe fazia com meu irmão... lembro perfeitamente disso tudo... tenho essa boneca até hoje.  E a roupinha também!

Depois minha experiência como mãe tornou-se mais profissional, quando, aos 20 anos, meus pais adotaram minha irmã. Aí eu tive um treinamento intensivo de como seria trocar fraldas, dar de comer, dar mamadeira, dar banho... eu aprendi a fazer tudo isso, da melhor maneira possível, na prática... sempre me considerei um pouco (ou muito!!) irmãe!! 


Esse instinto, esse desejo, sempre estiveram presentes em mim. O dia mais longo da minha vida, sem exagero, foi o dia que eu fiz o BHCG, depois do teste de farmácia ter dado positivo. Olhava no relógio, trabalhava "horas", quando olhava de novo, haviam se passado CINCO MINUTOS!!! E foi assim o dia todo. Chegava o Natal, mas não chegava 17h... tenso.

Fui mãe... realizei meu maior sonho... realizei as duas vezes que eu quis... minhas duas gestações foram planejadas, desejadas, amadas. Um casal... não tinha como ser melhor... nunca nos meus melhores sonhos, daqueles que a gente não quer acordar, que a gente jura que é real, nunca pensei que caberia tanto amor no meu coração. Nunca pensei que eu pudesse ser tão feliz... 

Então, neste que é meu 6º dia das mães como mãe, meu único desejo, o que eu realmente quero de dia das mães, é nunca acordar dessa realidade que é ser mãe... com todas as suas dificuldades, com todas as perguntas sem respostas, com toda insegurança, com tudo o mais que está implícito... não troco por nenhum presente material no mundo. NUNCA!! Ser mãe já o melhor presente. 

Só quero ser mãe para sempre... caminhar cada novo trajeto por onde a vida nos levar, passar de fase, chegar lá... compartilhar das vitórias de vida deles, comemorar, amparar, estar sempre aqui, com meus ombros largos, prontos para dar todo o conforto que eles precisarem, que eles quiserem. E um dia poder dizer: missão cumprida.


segunda-feira, 7 de maio de 2012

Da série Perguntas Simples, Respostas Complicadas - Parte 157.496



Será que são mesmo perguntas difíceis ou são apenas perguntas curiosas e eu é que fico sem respostas?? Ó, também não sei responder......

Na verdade, fico sem resposta mais vezes do que eu gostaria... acho que me preocupo de mais em encontrar a melhor resposta, para não deixar em dúvida, para não mentir, para dar o direcionamento correto, porque a resposta pode ser simples, fácil, não precisaria pensar muito, mas acho que as respostas fáceis não contentam a mente tão indagativa do Pedro e no caso de hoje a resposta rápida e fácil pode induzir a pensamentos futuros que eu mesma não vou gostar de ver meu filho disseminando por aí.

Hoje o Pedro me perguntou de que cor ele é.

Instintivamente me veio responder que ele é branco. Mas branco, branco mesmo, da cor da neve, do papel sulfite, do sal e do açúcar ele não é. Então ele é "cor da pele"... também não é, existem várias cores de pele diferentes da cor da pele dele... e aí é que o erro de julgamento fica evidente e perigoso... sim, perigoso, porque de tudo que eu prezo e procuro ensinar, com toda certeza do mundo, não quero ver meus filhos julgando pessoas por elas terem mais melanina na pele do que outras, nunca!! Então vamos pensar melhor nesta resposta.... Lembram de um episódio do Chaves, em que alguma personagem diz que somente idiotas respondem uma pergunta com outra pergunta?? Então... a idiota procurou sair pela culatra: - Como assim, de que cor você é? De que cor são seus olhos, de que cor é seu cabelo... o que você quer saber??
É claro que ele queria saber o nome da cor que é a pele dele. Aí respondi que ele é bege claro, mas que as bochechas são vermelhinhas, a palma da mão é rosada, a boca é vermelha e que é tudo pele, de diferentes cores, mas tudo é pele. Eu me senti na obrigação de responder que existem várias cores de pele em todas as pessoas... ele entendeu, não aprofundou, perguntou sobre a cor dos olhos dele que são castanhos e os cabelos também. E para finalizar, disse que quando ele fizer a coruja de origami, que ele está louco para aprender a fazer, vai pintar os olhos dela de castanho, iguais aos nossos, meu e dele ownnnnn...

Ufa, pergunta nº 157.496 respondida com êxito.

O que será que me aguarda na próxima?? Que Deus me dê sabedoria para responder... porque é mais difícil do que parece... ou é fácil e eu é que complico?? Devaneios de uma mãe que se preocupa com tudo o que diz porque realmente é difícil prever o que pode desencadear uma resposta mal dada...

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Por quanto tempo ainda eu serei criança?


Foi a pergunta que precisei responder hoje...

Depois do aniversário da Natália começou a expectativa do Pedro quanto ao seu próprio aniversário. Sempre me pergunta quanto tempo falta, como vamos fazer a festa... mas hoje ele me fez uma pergunta um tanto quanto diferente...

Primeiro perguntou se depois que ele fizesse aniversário ele ainda seria criança. 

Eu disse que sim, que depois do aniversário ele terá 5 anos e ainda será criança. Então veio a pergunta título deste post... e para essa, eu não tive resposta.

Eu queria poder dizer que ele pode ser criança para sempre, mas neste caso, se for verdade da minha parte, não é uma coisa boa na sua vida adulta. Mentir nem passa pela minha cabeça. 

Como fazê-lo entender aos 4 anos, que a criança de algumas pessoas é eterna? Carregar uma criança no peito, deixar ela sair de vez em quanto... poder voltar a brincar de casinha, de boneca, de carrinho uma certa altura da vida não tem preço... soltar pipa, rodar peão, pular corda, amarelinha, esconde-esconde... Mas levar a vida toda na brincadeira também não dá certo... brincar com o sentimento das pessoas, não levar a vida adulta a sério, não criar responsabilidades, nem adquirir maturidade, viver a vida de filhinho e não chegar nunca ao finalmente, quanto chegamos ao ponto de começar a trabalhar, no mínimo pensar em outras coisas que não seja apenas na auto imagem... buscar metas e ideais... construir a vida, crescer, assim como se deve ser.

Perguntinha complicada essa, hein Pedro?? Me fazer pensar tanto assim, em tantas pessoas que eu conheço que não sabem dosar o seu lado criança com seu lado maduro... uns tem de mais, outros tem de menos. Adultos com síndrome de Peter Pan (tanto homens quanto mulheres! não é caso do gênero masculino não... conheço várias mulheres que se encaixam aqui!!) e tantas meninas e meninos que no "alto" de seus 11 ou 12 anos já se acham mais adultos do que muitos 40rentões e 40rentonas por aí! Uns esqueceram a infância cedo de mais, outros nunca chegaram a vida adulta... difícil dosar...

Mas em resposta a essa pergunta, vindo de um menino de 4 anos, só pude responder de uma maneira:

- Não se preocupe com isso agora, filho... vá brincar...

______________________________

Depois de terminada e publicada esta postagem, o Pedro me sai com essa que não poderia ficar de fora, nunca!!!

A hora da janta sempre me revela novas surpresas...

- Como é que se faz o leite, mãe??
- O leite vem da vaca. Ela come e produz leite que saem das tetas. Lembra quando a Natália mamava no peito da mãe?
- Lembro. Tudo o que você comia virava leite e a Natália mamava.
- Isso mesmo.
- Ah, quando eu tiver meu filho, ele também vai mamar em mim, né?
- Não Pedro, só as mulheres produzem leite. Lembra que era só eu que dava mamar para a Natália, o papai não?
- Ah, é eu lembro... mas e então, onde o meu filho vai mamar quando ele nascer??
- Vai mamar na tua mulher, na mamãe dele.
- Ahh mãe, vai ser tão lindo ver ele mamando!!! ... pena que vai demorar tanto........

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Natália Maria



Minha linda... minha vida...

Uma arteirinha de marca maior!! Com quase 2 anos, viciada em adrenalina!! Andar é para os fracos... a Natália vive de correr, de pular, de se jogar de cima de onde estiver, pronta para ser segurada... de virar cambalhotas, de se segurar entre um sofá e outro erguer as pernas num ângulo reto e se soltar de bunda no chão... ou então, se apoiando nos sofás, ficar na ponta do dedão, como uma bailarina profissional e não tem nem 2 anos!!

Natália, aquela que antes dos 2 anos já enfrenta seus medos de frente!! Ficou com medo da máscara do meu irmão, mas foi atrás dele, colocou a mão para sentir, com um pouco de receio, mas teve coragem.

Aquela que há 7 meses, com menos de 1 ano e meio, precisou trocar o berço pela cama, por julgar a grade do berço por uma barra de ginástica olímpica. Essa mesma, que no seu primeiro dia de piscina não quis nem saber de ficar sentadinha em um boia de cavalinho, fez e aconteceu, me deu mais algumas dúzias de cabelos brancos porque só aceitou entrar na água com boia de braço, pulou da borda da piscina, quis ser jogada para o alto, mergulhou, afundou, voltou a tona com um sorriso no rosto e os cabelos nos olhos. Ela, que não quer pentear os cabelos mas já adora um esmalte... que quando resolve que não quer usar um vestido não tem quem a vista, assim como quando quer usar um chapéu ou um gorro nem tente dissuadi-la disso, por mais que o calor esteja escaldante ou que as cores não combinem...

Sim, ela já entra numa loja de sapatos e vai admirar as sandálias... ela fica na frente do espelho se olhando...

Ela que pensa que os gatos são de brinquedos e que ela pode usa-los de travesseiro... já foi arranhada, mordida mas não desiste de fazer dos gatos gato e sapato... foi mordida no olho pela cachorrinha da minha tia, mas voltou do hospital direto para baixo da mesa atrás da cachorrinha......

Fala "favoi" para tudo que quer, o que muitas vezes é um golpe baixo, porque não temos coragem de negar, mesmo quando precisamos (nego, mas com o coração doído)... entra no carro e vai logo dizendo: "xinto Pedo" para que ele coloque o cinto e em seguinda "Doxe, mamãe, favoi"(música Doce Mel, que ela ama!!)... e assim que ligo a música que ela quer já diz "Dada" (Obrigada!!), e assim, ouvimos 3, 4 ou 5 vezes a mesma música seguida... até não aguentar mais ou então até ela dormir... rsrs.

Ela tira a roupa para tomar banho e sem nem precisar dizer nada que ela já leva a roupa suja para a cesta (até mesmo se a roupa estiver limpa, rsrs).

Ela é metódica!! Quando saí do banho quer que eu faça sempre as coisas do mesmo jeito, não gosta que mude nada!! Não gostou nem de mudar do cadeirão de almoçar para a mesa!! Levei alguns dias para acostumá-la e essa nova ideia (tudo para ver se ela almoça melhor... ela não come muito não... mas prefiro deixá-la a vontade, afinal, fome ela não passa!!)

Adora ficar descalça, mas quando me vê sem chinelos já vem colocar os meus nos meus pés (como acabou de fazer, neste minuto...).

Brinca de bonecas, brinca de cozinhar, brinca de carrinho, brinca de trem, mas sua brincadeira favorita é esconde-esconde! Que coisa mais linda, ver esse toquinho de gente de rosto colado na parede, contando, aí se vira para nós, com suas mãozinhas levantadas e sua carinha de indagação e SEMPRE pergunta: "Cade Pedo? Cade?" E sai correndo, rindo, gritando a bate na parede um 31 meu... e então, corre se esconder no exato lugar onde encontrou o Pedro...

Está aprendendo a falar, então, de repente desanda: fala, fala, fala e nós não entendemos nada, e na mesma hora fala umas frase com 4 ou 5 palavras novas e nos encanta com seu jeito de menininha sapeca, travessa, meiga e linda...

Natália, ela que no primeiro mês de gestação eu tinha certeza que era menina, mas que levou mais de 5 meses para se mostrar e confirmar o que eu já sabia. Um nome que demoramos para encontrar, até que chegou uma noite em que eu decidi que não iria dormir enquanto não houvesse escolhido o nome... quando cheguei na letra N do livro resolvi pular, porque não acreditava que teria um nome que nos agradasse com N... mas ainda assim corri os olhos pelos primeiros nomes... e Natália simplesmente brilhou lá no meio de outros... e foi aceito por nós 2 na mesma hora, o que me deixou tremendamente feliz, porque é uma alusão ao nome da minha avó Maria Natalina = Natália Maria!

Natália Maria: abençoada no nascimento, mas foi também abençoada na concepção... e é abençoada diariamente.

No seu aniversário filha, não tenho nem palavras que expressem minha alegria e minha eterna gratidão a Deus, por ter me feito sua mãe.

Amo você absurdamente, imensuravelmente. Amo você até a lua... de ida e volta... infinitamente!

Um vídeo simples, uma retrospectiva, com uma das minhas músicas favoritas, para você, filha, no seu dia e que todos os dias sejam seus... menininha do meu coração...

video

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Dia Mundial da Conscientização do Autismo



Um tema tão importante ganhou espaço hoje nas redes sociais. O Autismo.

Não tenho muito o que falar a respeito, não sou conhecedora de casos, nem de derivações sintomáticas. Mas me senti impelida a escrever sobre o assunto... ou no mínimo dar atenção à data, compartilhando alguns links interessantes e esclarecedores.

* http://edif.blogs.sapo.pt/21274.html - Ambos sobre Autismo


* http://br.guiainfantil.com/asperger.html - Síndrome de Asperger - O interessante na Síndrome de Asperger, é que em muitos casos, nem os médicos percebem os sintomas nos pacientes. Neste link, vale ler os comentários de muitos pais de Aspergers que foram auto-didatas no diagnósticos dos filhos.



Mas qualquer um desses links podem ser encontrados em qualquer busca rápida pelo Google. Nunca devemos nos basear exclusivamente por essas informações. Sempre que houver suspeita ou dúvida, um neurologista deve ser procurado.

E se você conhece alguém assim e suspeita que possa ser um dos casos, não custa nada encaminhar essas páginas. Você pode estar ajudando e muito um pai e uma mãe aflitos. A informação é sempre a base de tudo. E em muitos casos, você pode ajudar sem nem ter ideia de que o fez.

E outra coisa importante que não deve ser esquecida nunca, é que o preconceito não ajuda, só atrapalha.

Sei que meu texto não fez jus a causa de hoje, mas ainda assim, é melhor do que a omissão.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Se isso não for uma fase...


não sei o que fazer...
Aos 4 anos e meio, o Pedro tem andado tão chorão. Birrento, manhoso, teimoso... complicado... quando vou buscá-lo na escola ele já entra no carro chorando porque quer ir na vó... se não vou, tenho que aguentar um chororo... quando vou, chego na casa da minha mãe e a cada dia ele tem um novo motivo para chorar e estar sempre "triste comigo" como ele sempre diz e me acusa. Na foto ele estava chorando porque não queria ir embora da casa da vó!! Na escola sei que está tudo ótimo, porque ele adora ir, apesar de ainda não me contar quase nada (coisas de homem??).

Tem dormido relativamente cedo, acordado lá pelas 7 e meia 8 horas, e para tudo e o tempo todo só choraminga e reclama. Eu sou de conversar mais, argumentar, não sou de ceder às suas artimanhas do choro, mas me canso viu... e já o Rodrigo que já não é de muita paciência... de repente vira cada pandemônio aqui em casa que dá vergonha (o que os vizinhos devem pensar!!!)!!!

E ainda tem mais uma coisa... ele não quer fazer nada sozinho!!

Ele não quer se vestir sozinho, não quer tomar banho sozinho, nem tirar a roupa ele tira sem antes brigar, reclamar e é claro chorar muito!!! Atá depois de ir ao banheiro ele quer que eu erga suas calças... e é claro que eu não faço isso, mas cada vez tenho que brigar, ameaçar e insistir para que ele faça sozinho!!! Isso não está fácil... ele já está mais do que na hora de aprender a se virar. Claro que eu não tenho a intenção de deixá-lo desde já totalmente a sua merce, mas quero que ele vá aprendendo e principalmente tenha vontade de fazer sozinho!!! No banho, por exemplo, combinei com ele de lavar seu cabelo e fico o tempo todo vendo ele se lavar até que ele aprenda bem e eu tenha certeza de que ele está bem limpinho. E depois, se enxugar e se vestir é mole... e todos os dias é briga e discussão... já tentei dar banho mais cedo, porque quando ele está muito cansado, também não quero exigir muito, já sei que nesses casos a briga é maior... e eu respeito seu cansaço, afinal tem dias que bem que gostariamos de alguém para fazer essas coisas pela gente.

Eu fico mais preocupada porque acho que é natural eles querem ser independentes da mãe, pelo menos nessas questões. E parece que ele não está afim não.....

E como eu disse antes, eu sou de conversar, resolver pelo diálogo, explicar e tentar entender e posso até negociar, mas não sempre. Ameaço todos os tipos de castigos e com muito mais frequência do que eu gostaria aplico alguns (ficar sem ver desenhos, ficar pensando no quarto, não brincar com tal brinquedo por 1 dia todo, etc, etc, etc). Mas com o papai, é NÃO e fim de conversa. Sem chances de nada... e aí a birra e a gritaria só fica maior e pior!!! O Pedro grita para se impor, o pai grita para tentar fazê-lo parar de gritar E se impor e o volume só vai aumentando e a situação se complicando!!! Aí eu preciso intervir!!! E muitas vezes em favor do Pedro (afinal como é que se faz alguém não gritar gritando??)... o coisa complicada essa de educar filhos!!! Sei o quanto isso é errado e ruim... mas acontece que sempre quero conversar e entender... nem sempre um não precisa ser um não redondo... as vezes pode ser um não com algumas condições... não pode??

Nenhuma mãe pode fazer tudo pelos filhos... nunca... e tem que começar por essas pequenas atitudes. Estou certa? Será que logo ele começa a pegar gosto por aprender a fazer as coisas por si mesmo ou ele sempre vai querer alguém que faça por ele?? Ui, não gosto nem de pensar nessa possibilidade... conheço pessoas assim e não gosto (apesar de que acredito que parte disso é sim culpa da mãe que não soube a hora de dizer chega!!). Pelo menos eu estou lutando e não vou desistir de fazê-lo entender que é necessário ter atitudes e iniciativas.

Mas pelo Amor de Deus, que isso seja uma fase... breve de preferência....

Estou tão cheia de dúvidas, medos e preocupações... são as atitudes futuras e o caráter de uma vida que estão em jogo...

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Quem é o mais gentil?


Essa postagem faz parte da Blogagem Coletiva, sugerida pela Rogéria e vem acontecendo todo dia 30 de cada mês (menos esse mês, que está acontecendo no dia 29, por razões óbvias!!), mas essa é a minha primeira participação. Tenho muita dificuldade em escrever para BCs, mas no mês passado, fiz a intenção de escrever neste mês, impreterivelmente. Aí, quando cheguei em casa e vi nas atualizações que estava rolando, resolvi escrever mesmo agora, tarde, afinal, antes tarde do que mais tarde, certo??

Falar sobre gentileza neste mundo cão em que vivemos é uma tarefa complicada. Ainda agora a pouco, vi no perfil de uma amiga sobre uma estelionatária que vinha divulgando fotos de cães doentes e pedindo doações. Não sei quanto de dinheiro ela arrecadou, mas era tudo uma fraude. Tantas pessoas que ajudam animais abandonados e doentes e aparecem essas pessoas, que querem se prevalecer da situação. É lamentável.

Mas enfim, devemos falar sobre gentileza, e não o oposto. E como eu não sei falar sobre outra coisa que não seja sobre meus filhos e o quanto sou feliz e agradecida por ser mãe deles, é lógico que vou falar o quanto eles são gentis!!

O Pedro é um caso a parte. Posso estar fazendo o que for, que ele sempre quer me ajudar. Sempre. Mesmo. E se eu não precise ou não deixe porque não é uma coisa que ele possa ajudar, tenho inventar para que ele ache que está ajudando... tipo guardar alguma coisa ou pegar alguma coisa... hoje, por exemplo, estava recolhendo roupa do varal e ele queria me ajudar. Aí ele pegou o varal de chão e recolheu toda a roupa íntima. E quando a Natália viu, também quis ajudar. E nessa, o Pedro solta: "Já sei Natália, vamos fazer igual numa fábrica: eu tiro as roupas, te entrego os grampos e você coloca os grampos no balde, tá bom??" Cheguei a conclusão que ele já assistiu Tempos Modernos... (leia aqui, nesta postagem mais antiga, sobre o quanto o Pedro é prestativo)

A Natália está aprendendo a falar. Aí, agora, ela já pede tudo o que quer. E ela fala "pufavo" para TUDO!!! Ela chega para mim, com a mãozinha na fralda e diz: "Cocô pufavo"(ela já fez e quer que eu limpe). Aí vai no filtro e: "água pufavo". E nessa ela passa o dia... pior é quando ela quer algo que não deve, como bala antes do almoço... ela olha com aqueles olhos enormes estilo gato do Shrek e diz "pufavo!" Como negar???!!! E depois que ter o que deseja: "dada mamãe!" (traduzindo porque essa não é tão óbvia lendo, só ouvindo: "obrigada mamãe!").

Agora, entre as poucas coisas que o Pedro me contou que aprendeu na escola são as palavrinhas mágicas: Por favor, Obrigada, "olicença" (se empolga com o "O" rsrsrs), desculpe, e castigo!!!! (kkkkkkkk.... mas é verdade, ele disse hoje para mim..... acho que ele acha mágico, porque é só dizer que ele vai ficar de castigo que tudo se resolve..... hahaha, bom se fosse!!).

Ensino meus filhos a serem pessoas gentis... eles não vão perder nada por agirem com gentileza, muito ao contrário, só terão a ganhar. E como eu já disse antes, estamos vivendo num mundo cão... qualquer ato de gentileza, por mais ínfimo que seja, será valorizado. E se receber uma gentileza é bom, é muito melhor retribuir uma gentileza. E assim, gentileza gerando gentileza, transformaremos esse mundo cão num mundo de paz.

Estou fazendo minha parte dia a dia. E você?

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Das coisas que mais sinto saudades na vida:



- Em primeiro lugar, dos meus avós que ha 13 anos não sinto seus cheiros, não ouço suas vozes, não posso tocá-los, nem vejo seus sorrisos orgulhosos dos bisnetos que tem... sem dúvida alguma são a razão do eterno nó no peito. Sempre, sempre mesmo fico imaginando como seria se eles ainda fossem vivos e como eles seriam como meus filhos... com certeza mimos mil, assim como eram com os netos...

- Sinto saudades das crianças como bebes recém-nascidos... sinto saudades de amamentar... não é porque faz taaantooo tempo assim, mas é porque sei que é uma saudades que não passará, porque a intenção não é ter mais filhos... são momentos preciosos que ficaram na lembrança... amo cada momento novo com eles, amo ver o quanto crescem bem, com saúde, aprendendo cada dia mais... logo estarei com saudades dessa época também... e assim sucessivamente.

- Ahh minha adolescência... não foi nada extraordinária, cheia de aventuras e namoros, não foi e não me fez falta... mas foi um tempo gostoso, muito divertido, passado ao lado dos meus irmãos (tá bom, foi mais passada só ao lado do Rafa mesmo rs ... o João Luiz era muito novinho e a Rebeca ainda não existia...) dos meus primos, especialmente da Bruna e do Fábio, e da minha melhor amiga da vida toda Patti. Tempos de ficar sentados no meio fio jogando conversa fora até quando desse vontade... tempo de ir em baladinhas a pé mesmo... tempo de não ter com o que se preocupar a não ser se fulaninho estaria ou não na festa tal... tempo de ter um grande amor e julgar que ele seria o único da vida toda, rá!

- Saudades de pensar que ainda tinha a vida toda pela frente, cheia de novas possibilidades, cheia de escolhas... hoje em dia, pouca coisa ainda me cabe escolher, o sabor da pizza e o que vou fazer de almoço, por exemplo... o resto, ou já está decidido ou deve ser decidido em família, optando pelo que é mais certo ou mais sensato, mesmo que não seja exatamente a nossa vontade...

- Que saudades de não ter internet!!! É sério!! Nós moramos quase 2 anos numa chácara, onde não tinha nem internet nem TV por assinatura... tínhamos 2 tvs ligadas em antena normal, eu assistia programas de culinária e atualidades de manhã enquanto arrumava a casa e fazia almoço, o Pedro assistia Cocórico na sala o dia todo. Ficávamos lá para fora, deitados na rede ou fazíamos pique nique na nossa casa da árvore. Esse foi o tempo bom que moramos na chácara. Mas não foi um mar de rosas não... houve um tempo bem difícil que não me faz falta... esse é melhor deixar para lá...

- Quanta saudades de ser criança!!! Acho que todo mundo sente saudades da infância, mas eu sou muito nostálgica... parece que foi tudo tão maravilhoso!! Li uma vez, não lembro onde infelizmente, que sentimos saudades dessas épocas porque nosso cérebro só lembra do que foi bom... que quando colocado numa balança, o lado bom é igual em quantidade ao lado sem graça (não poder escolher nem a roupa que vai vestir não é legal, né... imagina alguém ter que limpar nosso bumbum depois de usarmos o banheiro.... afff....rsrs), mas só registramos as coisas boas... ufa... aí fica bom sentir saudades. O bom, é que com os filhos, em menor proporção, da para curtir algumas coisas de criança com eles... essa é uma das melhores partes de ser mãe... rsrs voltar a ser criança.

- Ser estudante! Mas essa saudades é uma que está nos meus planos de acabar... cedo ou tarde.

- Tantas outras coisas... meu gato Tobias e todos os outros gatos que já tive nesta vida... morar na casa que era da Baba, o colégio onde hoje o Pedro estuda, tantos amigos que eram muito amigos, que ficaram em uma parte da vida que não volta mais... alguns professores queridos... tantos livros, filmes, cinema sem complicações... etc...

- E muito logo estarei morrendo de saudades desse tempo em que eu tinha os filhos pequenos, guiava, orientava, mandava e desmandava em suas vidas, ainda existindo a possibilidade de deixar bons filhos para esse mundão... desse tempo em que eu sei o tempo todo onde eles estão, o que estão fazendo, posso escolher onde vão, o que vão comer, enfim... sentirei saudades de cada segundo desse tempo... sentirei saudades de cada nova fase que ainda vou viver...

A vida da gente é uma eterna saudade... que bom!!!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A primeira semana.

Já faz uma semana que começaram as aulas...

E só hoje o Pedro começou realmente a contar como está sendo.

Na sexta feira passada não teve aula, a professora recolheu o material enquanto eles ficaram brincando com blocos de montar e nós, mães, ficamos em reunião com a diretora. Isso levou pouco mais de uma hora e quando cheguei para pega-lo ele não queria vir embora. Ele queria ficar mais e quis saber quantos dias ele teria que dormir para voltar para a escola.

Segunda feira, entramos no colégio com eles, esperamos eles subirem para suas salas e então saímos. Enquanto estávamos esperando, havia um menino chorando porque não queria ficar. Quando o Pedro viu, ficou todo preocupado, queria saber porque ele estava chorando. Eu disse que ele deveria estar com alguma dor. Ele ficou realmente com dó do menino que chorava na escola!! Já na terça, não permitiram a entrada além dos portões. Haviam secretárias para acompanhar as crianças até suas professoras e nós nos despedíamos deles no portão mesmo. Também não houve período de adaptação. Desde segunda feira, as aulas começaram as 13h05m e terminaram as 17h05m.

Nestes primeiros dias, para todos que perguntavam se ele gostou da aula ele dizia que não... perguntavam o que ele fez de bom e a resposta era "Nada!!"... para mim, ele até contou mais coisas, o lanche que teve, o desenho que eles pintaram, contou que jogou basquete. Mas só para mim, nem para o papai ele contou mais nada (o que na verdade gerou um ciuminho e até mesmo uma mágoa por ouvir sempre "Não!" e "Nada!"). Mas mesmo para mim, os detalhes, outras coisas que eu queria saber, ele não contou nada!! E não adiantou escarafunchar que não saía nada... ele sempre dizia "Não sei!!"

Na terça feira ele contou que chorou na sala. Perguntei para a professora e ela me disse que não viu ele chorar... Aí ontem, ele chegou contando para mim que havia feito xixi na calça na hora da aula. Mas ele não estava com a calça molhada e nem fedidinha... achei bem estranho, perguntei mais, queria saber tudo, mas o que ele me contava era meio desencontrado. Hoje perguntei para a professora se ela viu alguma coisa sobre isso, contei que ele me contou. Ela me disse que não houve nada, que ele senta na frente dela e que não aconteceu nada disso, nem choro, nem xixi... e eu fiquei sem entender muito bem o que aconteceu. Até na verdade, o xixi eu imagino o que foi:

Ele ainda deixa cair uns pinguinhos na cueca, então sempre fica com cheirinho... eu sugeri a ele que passe um papel higiênico para secar bem, para não ficar com cheirinho e nem assar enquanto ele está na escola. Aí, quando ele me contou o caso, ele disse que fez xixi na calça e que não pode passar o papel. Então, o que eu acho que aconteceu é que deve ter escapado um pouquinho em algum momento (segundo ele, era hora do lanche e a professora não deixou ele ir ao banheiro) e ele ficou mais preocupado com o papel e por isso acabou dizendo que havia feito xixi na calça... mas de qualquer maneira, é melhor prestar mais atenção.

Quanto aos relatos, hoje no jantar, ele soltou o verbo!! Contou o nome de alguns amiguinhos e o engraçadinho, só lembra o nome das meninas!! rsrsrs não, ele lembra o nome de mais dois meninos também. Mas contou que aprendeu a escrever o número 1, ensinou a gente como fazer bem certinho, por onde começar, como se não soubéssemos ainda... muito feliz e empolgado com tudo que estava contando, com tudo que está aprendendo.

Mas o que aconteceu de mais lindo foi ontem, quando fui levá-lo e precisei levar a Natália comigo. Ela fez uma choradeira no portão, porque queria entrar junto. O Pedro deu um beijo tão gostoso nela e ela ficou chorando que eu precisei arrastá-la de volta para o carro, modo de dizer, é lógico que ela estava no meu colo!!! E na volta, quando fomos buscá-lo, a Natália o viu antes dele a ver e o abraço que eles se deram foi emocionante!!! E hoje foi a mesma coisa... é muito amor.

Estamos todos nos adaptando, estou adorando ver que meu menininho está aprendendo tantas coisas novas, conhecendo outras crianças, vivendo novas experiencias. Fico feliz e orgulhosa. E estamos nos saindo muito bem... a casa está mais vazia, mas por outro lado, está mais arrumada, rsrs. São poucas horas do dia, mas já da uma saudades... mas está tudo muito bem. E uma semana só ainda não tem muito o que falar (e mesmo assim, esse post já está bem grande!!), somente minhas primeiras impressões.

Só para finalizar, hoje estava pensando nisso tudo e fiz uma constatação: nos últimos 24 anos, passamos somente 2 anos sem frequentar a E.M.A./C.E.S.F. Desde 1988 até hoje, somente nos anos de 2005 e 2011 não havia um Forbeck estudando lá (eu e meus irmãos e agora meu filhote!!). Bacana isso não??? E se você ainda levar em consideração que minha mãe, tias e até meu avô estudaram neste Colégio, fica mais legal ainda... e se eu disser que é a mesma diretora, desde que minha mãe estudou lá, como fica??? Acho isso tudo tão lindo...

Ah, não precisei de lenço sexta feira... fiquei tão feliz e orgulhosa... tudo bem que tive que me segurar um pouco, afinal, não tinha nem uma mãe e nem uma criança chorando... e eu não queria ser a única. Minha época de chorar na escola ficou lá em 1988!!!




quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Expectativas, ansiedade e muito mais... primeiro dia de aula!!!




Daqui a dois dias começam as aulas do Pedro.

Estou mais ansiosa do que ele. Isso é certeza!!! Me preparando psicologicamente para o que vou enfrentar... sim, estou preocupada com o que eu vou enfrentar... sei que para ele vai ser uma grande mudança, o início de um processo que levará pelo menos uns 17 anos (espero que ele seja um entusiasta pelos estudos, que siga sempre um aprendiz, um eterno aluno, cada vez mais graduado, levando assim, muito mais do que os 17 anos até o termino de uma faculdade!!!), mas enfim, ele nem sonha que a partir de sexta feira, até ele ter quase 22 anos, ele já tem uma profissão: ESTUDANTE, e uma rotina envolvendo cadernos, livros e outros materiais, sendo que nesta primeira fase, são 4 cadernos de desenho, mais 2 caixas de lápis de cor, canetinhas, papeis coloridos, massinhas de modelar, colas, tesouras, etc, etc, etc... tudo isso em uma mochila do Mickey e um penal colorido, de alguma personagem de um desenho que eu desconheço... até chegar o tempo em que serão dúzias de cadernos universitários, uma caneta azul, uma vermelha e uma preta, uma lapiseira, grafites e uma borracha, jogados de qualquer jeito em uma mochila preta, com um bolso lateral para uma garrafa d'água e uma saída para fones de ouvido...

E é aí que entra toda a minha ansiedade...

Daqui para frente, não estarei mais a par de tudo o que ele vive... não estarei mais por dentro de suas conversas, não ouvirei mais uma parte de suas pérolas, de suas perguntas inteligentes e instigantes... não serei mais sua fonte de pesquisa, a primeira pessoa para quem ele pergunta alguma coisa... posso ainda ser a primeira, mas não serei mais a única... Isso sem contar que não poderei mais escolher quem serão seus amigos, seus companheiros e seus colegas... com certeza continuarei a aconselhar, dar o exemplo, ensinar o certo e o errado, mas as escolhas serão sempre dele.

Minha ansiedade está também na minha mudança de rotina... até agora, se o almoço estivesse na mesa na hora que estamos com fome, sem problemas!! Mas a partir de sexta-feira, ele precisará ser servido ao meio dia!! Para que dê tempo de almoçar tranquilamente, escovar os dentes e trocar de roupa para sair de casa pelo menos 10 para a uma!! Sem deixar a Natália cair no sono já em seguida (ou mesmo antes, como acontece eventualmente), para que nós duas possamos sair para levá-lo e aí sim, na volta deixá-la dormir e ficar "sozinha" a tarde, pelo menos o tempo que levar sua soneca... porque toda essa mudança não será apenas para mim e para o Pedro... a Natália também sentira a diferença... o irmãozão que está o tempo todo com ela, brincando, correndo, brigando, tirando os brinquedos dela para brincar exatamente com o que ela está, de repente, passará a ficar menos horas por dia em sua companhia, terá outras coisas para contar e fazer além de estar junto dela, terá outras crianças como companheiras de brincadeiras... crianças do mesmo tamanho dele, que vão conhecer as mesmas musiquinhas, as mesmas brincadeirinhas, a mesma professoras, a mesma linguagem... sobrará muito menos tempo e disposição para dar a atenção para a irmãzinha que mal fala, que só faz rabiscos, que só sabe contar até 3... sim, eu sei que depende muito de mim continuar a incentivar a amizade e companheirismo entre os dois e sei também que por tudo o que vivemos até aqui e pela personalidade deles, eles vão continuar se dando super bem, mas não posso negar que vai mudar!! E que nestas horas, mais do que de costume, eu vou ter que estar presente e ter muito mais paciência... nos primeiros dias, quando o Pedro estiver na aula e a Natália sentir falta, sem saber explicar, ficará mais irritada, impaciente e mais grudada em mim... ou nos dias que o Pedro chegar mais cansado ou com outras atividades para fazer e não tiver o mesmo tempo de brincar de esconde-esconde com ela...

Isso é só o que eu posso prever, imaginar e esperar dessa novidade que estamos prestes a começar a viver... sem contar as infinitas surpresas que nos aguardam pelos próximos 17 anos da vida de Estudante do Pedro...

Ah como ser mãe é emocionante... um passo de cada vez, uma conquista nova dia após dia, um novo motivo para sorrir e um novo motivo para se emocionar e ficar com os olhos cheios de lágrimas por perceber que os filhos estão crescendo desenfreadamente, começando tão cedo a viver a própria vida, exatamente como deve ser... será que é melhor levar um lenço sexta feira quando for deixá-lo na escola??? Vou precisar com certeza......

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O que responder??



Para quem ainda não sabe, o Pedro tem uma ideia fixa: ter um filho!!

Leia aqui e aqui, mas agora, o filho dele se chamará Gabriel. Ele fala no filho que ele vai ter todos os dias...

Mas hoje, durante o jantar, o Pedro me fez uma pergunta que eu sei que não dei uma resposta a altura da sua cabecinha...

Do nada, ele me olha e diz:

- Mãe, quando eu crescer, por que eu tenho que ter uma namorada para ter meu filho? Por que eu não posso ficar grávido?

#mãemuda...

#pensamaisumpouco...

#falarsempreaverdade...

- Porque são as mulheres que ficam grávidas, não os homens. Quando você crescer, você vai ter uma namorada, vai casar com ela e então ela vai ficar grávida do TEU filho!!

Não falou mais nada, não perguntou mais nada...

Complicado, hein... pensei que eu só teria que responder esse tipo de pergunta uns 5 anos para frente, quando alguns conceitos fisiológicos e anatômicos já são compreendidos... mas assim, #aos4 é difícil...

É... realmente nós mães precisamos estar prontas para tudo e ter sempre as respostas na ponta da língua, mesmo que não saibamos o que dizer...